Cepas crescentes: como é determinado o sabor da cannabis?

Total
0
Shares

Geralmente, o processo de crescimento de uma planta de cannabis determina fortemente o conteúdo de canabinóides dentro da cepa – mas o que determina o sabor da cannabis?

Os canabinóides, como o tetra-hidrocanabinol (THC) ou o canabidiol (CBD), são substâncias químicas nas cepas que se conectam aos receptores de canabinóides no corpo e no cérebro do paciente, causando um efeito estimulante. Cepas diferentes podem ser úteis para diferentes doenças, dependendo do seu perfil químico.

Crescimento

O processo de crescimento também determina o desenvolvimento de terpenos das plantas de cannabis, ajudando a ditar o sabor e o aroma que uma cepa libera, semelhante à maneira como uma laranja irradia seu cheiro e sabor cítrico.

O terpeno mais comum encontrado nas plantas de cannabis é o mirceno, que também é encontrado nas mangas. Myrcene é responsável por dar um cheiro distinto a uma cepa que a maioria das pessoas reconhece.

Além disso, o mirceno é conhecido por fornecer vários benefícios terapêuticos, além de propriedades anti-inflamatórias. Mais importante ainda, o mirceno também pode determinar se uma cepa é indica ou sativa-dominante.

Geralmente, as plantas que contêm mais de 0,5% de mirceno são indicadas. A percepção comum é que a sativa oferece elevações na cabeça que alteram o cérebro, enquanto as cepas indica fornecem um efeito dominante no corpo. No entanto, é difícil classificar consistentemente muitas cepas como exclusivamente indica ou sativa por causa do cruzamento desenfreado.

Por exemplo, muitos cultivadores tendem a cruzar linhagens sativa e indica para selecionar propositadamente canabinóides e terpenos específicos dentro de cada linhagem e criar um sabor único de cannabis. Os criadores podem misturar e combinar entre centenas de diferentes linhagens, criando uma variedade infinita de opções híbridas.

A automação é um prejuízo?

O processo inicial de crescimento de uma planta de cannabis é uma etapa crucial, pois pode determinar a potência resultante da cepa, bem como o sabor da cannabis. A maioria dos cultivadores em larga escala usa máquinas para automatizar suas casas de cultivo, o que pode aumentar significativamente os níveis de produção.

No entanto, a principal desvantagem é que as máquinas podem frequentemente danificar o conteúdo de canabinóides nas plantas, resultando em tensões mais fracas. No entanto, usando máquinas automatizadas, muitos cultivadores de grande escala são capazes de produzir em massa toneladas de cannabis a cada colheita, permitindo que eles redistribam a cannabis a preços de atacado.

Pequenos cultivadores se dedicam ao cultivo da “cannabis artesanal”, que é conhecida como o processo artesanal de criar cannabis orgânico e premium. Os cultivadores artesanais conseguem produtos de alta qualidade porque evitam o uso de máquinas e produtos químicos artificiais.

Produtos químicos artificiais, como pesticidas ou estimulantes do crescimento, podem danificar o crescimento de canabinóides. Como resultado, os cultivadores artesanais tendem a cada planta individual para garantir um processo de crescimento saudável. Durante os períodos de colheita, os cultivadores artesanais também cortam manualmente cada planta para manter a integridade do canabinóide em toda a planta.

Ryan Stoa, professor associado de direito da Faculdade de Direito da Universidade de Concordia, disse: “O número impressionante de cepas de maconha que estão sendo desenvolvidas está criando uma cultura de conhecedores que favorece fazendas artesanais de pequena escala que podem se adaptar com agilidade às mudanças na demanda do mercado. Como essas fazendas podem se vender como pequenas, sustentáveis ​​e locais, elas podem refletir melhor os ideais de movimento alimentar do século XXI.

“Provavelmente é inevitável que a maconha grande se apodere de alguma forma, mas isso não significa que o mercado não possa apoiar as pequenas empresas que permitiram que a maconha se tornasse uma indústria exclusivamente local e artesanal.”

Fonte: Health Europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Cannabis medicinal no Brasil: veja o que muda com as novas regras da Anvisa

A regulamentação de produtos à base de maconha no Brasil foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (3). Com a decisão, produtos feitos com cannabis para…
View Post