Usuários de maconha trabalham mais do que os não usuários

Total
0
Shares

Um estudo realizado na Califórnia descobriu que os usuários de maconha trabalham mais do que os não usuários e são mais propensos a ter empregos em tempo integral.

Aqueles que usam maconha trabalham com mais frequência do que aqueles que não o fazem, e são mais propensos a ter um emprego em tempo integral, de acordo com uma pesquisa de usuários de maconha da Califórnia conduzida pela BDS Analytics.

O estudo separou as pessoas em três categorias: os que usaram maconha nos últimos seis meses, aqueles que não usaram maconha nos últimos seis meses, mas estão abertos (“receptores”) e aqueles que não usaram maconha no seis meses passados e não estão dispostos a fazê-lo (“rejeitadores”).

O estudo descobriu que a idade média dos usuários de maconha nos últimos seis meses era de 39 anos. A idade média para aqueles que aceitam é 49 e com uma média de idade de 56 anos que a rejeitam. Entre os consumidores, 43% dizem que se exercitam ao ar livre várias vezes por semana. Isso é significativamente maior do que o grupo de pessoas que aceitam (35%) e muito mais alto que os rejeitadores (apenas 25%).

Essa tendência continua entre aqueles que se exercitam várias vezes por semana em uma academia; 40% entre os consumidores, 30% entre aqueles que aceitam e 27% entre aqueles que o rejeitam.

O estudo também descobriu que os usuários de maconha são muito mais propensos a ter um emprego em tempo integral. Entre os consumidores, 53% têm um emprego em tempo integral, em comparação com 44% dos aceitadores e apenas 33% (menos de 1 em cada 3) entre os rejeitadores.

Você pode encontrar mais informações sobre este estudo clicando aqui.

Fonte: The Joint Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Após sucesso da maconha legalizada, estado dos EUA pode legalizar cogumelos alucinógenos

A legalização da maconha já é realidade em muitos estados norte-americanos. Sucesso até no mercado financeiro, o consumo legalizado da erva pode abrir espaço para a descriminalização dos cogumelos alucinógenos. Você não leu…
View Post

Muito mais sustentável! Indústria da moda substitui algodão por fibra de “maconha” na produção têxtil

Depois de ser proibido por mais de 80 anos nos EUA, por possuir (baixas!) concentrações de THC, um dos princípios psicoativos da maconha, o cultivo de cânhamo está finalmente liberado…
View Post