Maconha é 30 vezes mais poderosa que remédios anti-inflamatórios

Total
0
Shares

A legalização da maconha medicinal em diversos estados dos EUA e países do mundo vem acelerando e aprofundando as pesquisas com os possíveis usos da planta para substituir outros remédios e melhorar tratamentos tão importantes quanto urgentes. E se o potencial analgésico da cannabis já vinha sendo comprovado na prática, uma pesquisa transformadora pela primeira vez confirmou que a maconha pode ser até 30 vezes mais poderosa do que, por exemplo, a aspirina em combater dores e inflamações – a partir de um uso muito mais natural e menos aditivo que remédios derivados do ópio.

A pesquisa foi realizada por cientistas da Universidade de Guelph, em Ontário, no Canadá, e combinou bioquímica e estudos genômicos para determinar como a maconha pode trazer resultados analgésicos e anti-inflamatórios – a partir da produção das moléculas cannflavin A e B.

“Claramente há a necessidade de se desenvolver alternativas para aliviar dores agudas e crônicas para além dos derivados do ópio”, afirmou o professor Tariq Akhtar, que trabalhou na pesquisa junto com o professor Steven Rothstein. “Essas moléculas não são psicoativas e atacam a inflamação em sua origem, sendo assim analgésicos ideais”, disse.

A ideia, portanto, é utilizar essas moléculas para desenvolver remédios naturais para combater as dores. “Poder oferecer novas opções no alívio das dores é excitante, e estamos orgulhosos de que nosso trabalho tenha o potencial de se tornar uma nova ferramenta no arsenal analgésico”, afirmou Rothstein. A equipe de pesquisadores se reuniu com a empresa farmacêutica Anahit International Corp., de origem canadense, para biosintetizar as moléculas fora da maconha e, assim, produzir medicamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Cannabis medicinal no Brasil: veja o que muda com as novas regras da Anvisa

A regulamentação de produtos à base de maconha no Brasil foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (3). Com a decisão, produtos feitos com cannabis para…
View Post