Bolsonaro escolhe diretor contrário à cannabis medicinal para presidir a Anvisa

Total
0
Shares

O presidente Jair Bolsonaro encaminhou ao Senado nesta quinta-feira (9) a indicação de Antônio Barra Torres para exercer o cargo de diretor-presidente da Anvisa. Barra já atuava como substituto desde dezembro, quando terminou o mandato do antigo diretor-presidente, William Dib. Ele se reuniu com Bolsonaro na tarde de quarta-feira no Palácio do Planalto.

Médico e contra-almirante da Marinha, Barra está na Anvisa desde agosto de 2019, por indicação de Bolsonaro. Em dezembro, foi um dos três diretores a votar contra a proposta que autorizava o plantio de maconha por empresas para fins medicinais.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é uma agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde. Cabe a ela o controle sanitário de todos os produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária, como medicamentos, cosméticos, agrotóxicos e derivados do tabaco.

Bolsonaro também encaminhou para o Senado a indicação de Marcus Aurélio Miranda de Araújo para ocupar o cargo de diretor da Anvisa. Araújo, que é servidor da agência, foi chefe de gabinete de Dib e permaneceu no cargo durante a interinidade de Torres . Ele também já foi gerente geral de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Anvisa.

A diretoria da Anvisa é composta por cinco diretores, sendo que um deles é o diretor-presidente. A duração dos mandatos era de três anos, mas, para os novos diretores, passou a ser de cinco anos desde a aprovação, no ano passado, do novo marco das agências reguladoras. A recondução foi vetada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Juíza de Niterói autoriza doente de Parkinson a plantar maconha para tratamento

A juíza Rosana Navega, do 1º Juizado Criminal de Niterói, concedeu liminar para que uma senhora possa plantar e transportar cannabis sativa, a planta da maconha, para fins medicinais. Ela…
View Post

Pai de Weintraub falou sobre descriminalização da maconha nos anos 80

O psiquiatra Mauro Weintraub mencionou o movimento pela descriminalização da droga no livro “Sonhos e Sombras: a Realidade da Maconha”, uma posição considerada progressista para a época, mesmo sem defendê-la.…
View Post