Câmara de Salvador pode debater venda de medicamentos a base de maconha

Total
0
Shares

A Câmara Municipal de Salvador (CMS) pode sediar um seminário regional para discutir a comercialização de medicamentos à base de maconha em dezembro. A proposta foi protocolada pelo deputado federal Bacelar (Pode) na Câmara dos Deputados na comissão que debate o tema em Brasília. A ideia do parlamentar, pré-candidato a prefeitura de Salvador, é trazer para a capital baiana o debate sobre a liberação da venda dos medicamentos que contenham extratos, substratos ou partes da Cannabis.

 

Caso aprovado na comissão na Câmara, o evento terá organização em Salvador intermediada pelo vereador Sidninho (Pode). O edil articula para que o debate ocorra no plenário do Legislativo Municipal. A proposta de Bacelar é trazer especialistas reconhecidos nacionalmente e internacionalmente para debater na capital. “A questão da Cannabis veio para ficar, por isso é fundamental que pensemos como desenvolvê-la para que tenhamos um acesso democrático, justo, com informações e pesquisas na área tanto para o desenvolvimento do Brasil quanto para a melhoria da qualidade de vida de pacientes de diversas patologias”, escreveu Bacelar na proposta protocolada na CMS.

Os remédios à base da planta são indicados para o tratamento da epilepsia refratária, em que pacientes, geralmente crianças, enfrentam uma frequência alta de crises. Desde 2015, a Anvisa autoriza a importação de óleos e produtos à base de maconha para pacientes de Parkinson, autismo e dores crônicas. A compra dos remédios, no entanto, está apenas autorizada diante da liberação da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Cannabis medicinal no Brasil: veja o que muda com as novas regras da Anvisa

A regulamentação de produtos à base de maconha no Brasil foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (3). Com a decisão, produtos feitos com cannabis para…
View Post

STJ reafirma que importação de sementes de maconha não é contrabando

A importação de pequena quantidade de sementes de maconha não pode ser considerada contrabando. Com esse entendimento, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou recurso do Ministério Público…
View Post

O ministro da Educação não sabe o que diz

Mais uma vez, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, investiu contra as instituições de ensino federais tentando envolver, na semana passada, os seus alunos em prática criminosa. Se a intenção…
View Post