Câmara de Santarém viabiliza cultura de canábis para fins medicinais

Total
0
Shares

Autarquia declara a inexistência de restrições ao cultivo da planta numa propriedade sita na União de Freguesias de Azóia de Cima e Tremês, mas a empresa promotora tem ainda que obter aprovação final de outras entidades.
O executivo da Câmara Municipal de Santarém aprovou a emissão de uma certidão que atesta não haver restrições ao cultivo de canábis para fins medicinais numa área rural da freguesia de Tremês e Azóia de Cima. O requerimento foi apresentado em nome da empresa Sinnabis, com sede na Rua do Matadouro Regional, na Zona Industrial de Santarém.

Apesar dessa decisão, o presidente do município, Ricardo Gonçalves (PSD), ressalva que o projecto tem ainda que passar pela aprovação de outras entidades, nomeadamente o Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde. “Estamos apenas a atestar que o terreno cumpre essas premissas. Cabe ao Infarmed decidir”, sublinhou.

O projecto prevê o cultivo orgânico de canábis medicinal e visa servir os mercados farmacêuticos português, suíço, canadiano, entre outros. Segundo a empresa promotora, o projecto é para ser desenvolvido em cinco anos.

No primeiro ano prevê-se uma área de cultivo entre um a dois hectares, em campo aberto, com um único ciclo de colheita (Junho a Outubro). A produção estimada é de 8.000 plantas. Para o segundo ano está planeada a instalação de mil metros quadrados de estufas, por forma a garantir uma produção anual contínua. Ao fim dos cinco anos a área de cultivo deve chegar aos 3,7 hectares, com vários ciclos de produção. A produção prevista nessa fase é de 24 mil plantas.

Após o quinto ano com uma produção estável e continua a empresa prevê o início da actividade industrial, que será objecto de novo projecto de ampliação. Estima-se a criação de cinco postos de trabalho a tempo inteiro e ainda mais oito a tempo parcial e 30 em actividade sazonal.

Sendo a canábis uma planta que dá origem a drogas ilegais muito usadas para fins recreativos, a questão da segurança em torno da plantação é fundamental. Nesse domínio, a empresa informa que será instalada uma vedação ao longo de todo o perímetro do terreno, com malha apertada de três metros de altura. Será também montado um sistema de vídeo vigilância, durante os meses de florescimento, recolha e até à entrega ao cliente. Neste período haverá também um vigilante nocturno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Cannabis medicinal no Brasil: veja o que muda com as novas regras da Anvisa

A regulamentação de produtos à base de maconha no Brasil foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (3). Com a decisão, produtos feitos com cannabis para…
View Post

Vem aí a ExpoCannabis 2019 em Montevidéu

Para quem nunca foi, vale conferir como funciona a festa Todo final de ano acontece, em Montevidéu, a ExpoCannabis! A feira reúne uma diversa gama de produtos, iniciativas, debates, publicações…
View Post

No Brasil, empreendimentos milionários aguardam sinal verde do governo para entrar no mercado da maconha medicinal

Na última semana, em uma audiência pública na Câmara dos Deputados sobre a regulamentação do plantio de maconha medicinal no país, o ex-deputado federal Givaldo Carimbão disse conhecer o caso…
View Post