Onde está a maconha mais barata? Uma comparação estado a estado dos EUA

Total
0
Shares

Como os estados dos EUA legalizaram a maconha na última década, eles criaram uma colcha de retalhos de pequenas economias. Essas economias são governadas por leis estaduais divergentes e separadas por firewalls; nem um grama pode cruzar legalmente as linhas de cada estado. Não surpreende, portanto, que os mercados tenham evoluído diferenças consideráveis, mesmo quando se desenvolveram lado a lado.

Um novo relatório da empresa de dados de cannabis Headset explora as diferenças de preço que surgiram nesses mercados estaduais. Olhando para o Colorado, Washington, Nevada e Califórnia, o relatório rastreia as tendências de preços em várias categorias de produtos.

Onde está a maconha mais barata?

Dos quatro estados analisados ​​pelo Headset, Washington teve o menor preço médio por produto de Cannabis. O nome apropriadamente Evergreen State também ofereceu a grama média mais barata em termos de concentrados, pré-rolos e canetas vape. O Colorado ficou um pouco mais baixo no preço médio por grama de flor, mas apenas por um fio de cabelo.

De acordo com os dados do Headset, um grama de flor de cannabis custa em média US$ 4,90 em Washington. Isso nem sempre foi o caso. “O primeiro dia de vendas legais de cannabis no estado de Washington viu gramas de cannabis serem vendidos por até US$ 30, o que é inédito agora”, observa o relatório.

O que está por trás da queda vertiginosa no preço? Afinal, os 37% de imposto sobre consumo de cannabis de Washington são um dos mais altos do país.

“Washington tem milhares de marcas distintas de maconha e um sistema de mercado ‘em camadas’ que dá aos varejistas muita energia para reduzir o preço”, diz o relatório. “O sistema do Colorado permite a integração vertical, portanto, mesmo vendo os preços caírem ao longo dos anos, o cenário da marca é menos disputado”.

E o mais caro?
Se Washington oferece o menor preço médio de maconha dos quatro estados analisados, Nevada possui o mais alto – de longe. O estado tinha o maior preço médio por grama entre canetas de flores, concentrados, pré-rolos e vape.

O turismo pode ser responsável por alguns dos preços premium de Nevada. As canetas vape, que são particularmente populares entre os moradores de fora da cidade e os consumidores casuais, eram consideravelmente mais caras em Nevada do que em qualquer outro estado. O preço médio por grama dos vapes em Nevada era de US$ 96 – quase o triplo da média de US$ 36 em Washington.

A Califórnia reina suprema no que diz respeito ao preço médio do produto, embora parte disso tenha a ver com os produtos que os varejistas optam por levar. O preço médio do item é US$ 30,90, de acordo com o relatório Headset, que é mais que o dobro da média de US $ 15,33 de Washington.

Parte da diferença é resultado do aumento dos custos de conformidade decorrentes da recente transição da Califórnia para um mercado regulamentado.

“Na Califórnia, que entrou em operação em 2018”, diz o relatório, o preço médio dos itens “realmente subiu US $ 5, mas isso não pode durar para sempre”.

Produtos não inaláveis
As tendências de preços de produtos não inaláveis ​​- incluindo bebidas infundidas, produtos comestíveis, cápsulas, tinturas e tópicos – eram um pouco menos claras. A Headset avaliou o preço por miligrama de THC nesses produtos e descobriu que “as tendências de preços não refletem as tendências de estado mostradas nos inaláveis”. A variação nos preços de estado para estado também foi mais limitada.

Nevada, por exemplo, ainda está do lado caro em termos de bebidas, comestíveis, cápsulas e tópicos – mas tinha o menor preço médio quando se tratava de tinturas. E, apesar do alto preço médio dos itens da Califórnia, o Golden State tem os produtos comestíveis de menor preço que qualquer o estado.

Fonte: Leafly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Cannabis medicinal no Brasil: veja o que muda com as novas regras da Anvisa

A regulamentação de produtos à base de maconha no Brasil foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (3). Com a decisão, produtos feitos com cannabis para…
View Post